quarta-feira, março 2

 

O choque de civilizações


Foi o Diário Ateísta que chamou a atenção para esta «PARTICIPAÇÃO AOS INTERESSADOS», que aparece reproduzida no Público de hoje (p. 16):


As verdades absolutas, como a fé, são totalitárias. As religiões só são tolerantes quando deixam de o ser, quando não aspiram a impor as suas verdades absolutas.

Comments:
Melhor será que se lhe não dê um segundo de atenção porque,ao que vi num canal das nossas TVs, este padre deve querer um lugar na história, e estará disposto a tudo por isso!
 
Esta despudorada exibição é, infelizmente, um sinal dos tempos. Não deveremos tomar a nuvem por Juno. O que este senhor fez é simplesmente desprezivel e coloca sérias dúvidas quanto à sua verdadeira intenção. Não me parece sequer que seja um seguidor de Lefebre que não deverá conhecer. A avaliar pelo texto em português videirinho, pelas ideias imbecis, pela incultura, percebe-se que estamos perante um triste e escuro tonto deslumbrado com o mundo. Estará, provavelmente, satisfeito: os €1.200 que gastou valeram bem a publicidade que conseguiu e lhe conferiram uma projecção inusitada. Um caso triste, muito triste.
 
Como diz ls, é um sinal dos tempos.
Não serão de excluir, como força motivadora desta «pérola»,os efeitos devastadores que a vitória da esquerda, para mais acolitada pelo radicalismo do bloco, tiveram nesta «santa alma».
Que Deus lhe perdõe, que não sabe o que faz.
 
O padre Serras Pereira está apenas, na minha humilde opinião, a pôr em prática a doutrina da Igreja Católica.

A Igreja Católica não é uma instituição democrática, nem tem que o ser. Há um dogma da "infalibilidade papal", que diz que o papa está sempre certo. Se os "fiéis" não concordarem com aquilo que o papa diz, só têm uma coisa a fazer: afastar-se da Igreja.

Eu não sou católico, mas não compreendo porquê tanto escândalo com aquilo que o padre Serras Pereira diz. Quem não concorde com aquilo que a Igeja Católica prescreve em matéria de contraceção, só tem uma coisa a fazer: assumir que NÃO É católico. E afastar-se da Igreja.
 
É mau.. é muito mau, mas nem todos são assim.
 
São tarados.
É forte, mas não encontro, ou senti, outra palavra!
 
Pessoalmente, gostei da crio "perseveração". Um admirável conceito, resultante da fusão entre preservação e perseverança, para exprimir o processo através do qual se persevera na perpetuação da própria vida.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?