sexta-feira, janeiro 21

 

O Ter e o Parecer


Vale a pena ler o editorial de Eduardo Dâmaso no Público. E já agora, se não for pedir muito, releia-se o post «Triangulações: sugestões para uma próxima revisão constitucional». Duas passagens do editorial:

«O Estado gastou em 2003 qualquer coisa como 250 milhões de euros (50 milhões de contos) em pareceres de toda a espécie, desde jurídicos a estudos económicos.»

«Constitui-se assim um vastíssimo mercado de interesses que estigmatiza as boas razões que por vezes tornam necessário um parecer para encontrar uma boa solução e vive das cumplicidades e conveniências entre quem paga e quem vende as opiniões. Um mercado, diga-se, que tem como protagonistas sobretudo gente das ditas elites do país.

O mercado dos pareceres tornou-se o instrumento ideal para comprar fidelidades políticas ou convenientes silêncios. Sob um manto formal de legalidade há quem tenha recebido milhares de contos por pareceres que nunca deu, mas, pontualmente, consentiu que o seu nome fosse utilizado pelo governo A ou B. Há também quem tenha vendido as suas opiniões como mero instrumento de adequação de uma certa realidade a um desígnio político-partidário.
.
Os pareceres, na sua maioria, servem hoje para alguém alcançar um ter qualquer que raramente se relaciona com o essencial da questão que se discute em nome do interesse público. Um ter mais dinheiro, ter uma razão que sirva um interesse particular. Este é, afinal, um domínio em que quase sempre interessa mais o ter do que o parecer. E onde só circula o dinheiro dos contribuintes que somos todos nós.»

Comments:
Você tem um olho clínico! Parabéns.
 
Nem mais !!!
 
Aqui está um excelente tema no âmbito do tão designado jornalismo de investigação. E se os nossos "media" não estão em condições de o fazer (por incapacidade e/ou por não se lhes afigurar suficientemente escandaloso) porque não utilizar a blogosfera para esclarecer e divulgar esta matéria de elevadissimo interesse público ?
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?