segunda-feira, janeiro 24

 

A(s) gatinha(s) do filósofo


A romena Adriana Iliescu não tinha conseguido até agora ser mãe. Recorrendo à fertilização in vitro, acaba de o conseguir ser aos 67 anos. Este caso tem suscitado um aceso debate sobre a ética médica. Representantes da Igreja Ortodoxa Romena sustentam que ter filhos – apesar das evidências – é «um dom dado por Deus» e classificaram o parto de «egoísta» e «contrário aos preceitos cristãos». O ministro romeno da Saúde, Mircea Cinteza, foi mais longe: «Como ainda não foi adoptada uma lei sobre a procriação assistida, não houve um delito, mas provavelmente há uma violação da ética médica». Adriana Iliescu limita-se a dizer que sempre quis ter filhos e que espera, atendendo aos antecedentes de longevidade da família, viver muitos anos para poder cuidar do bebé.

Com a irreverência, digamos assim, que o caracteriza, João Pereira Coutinho escreveu sobre o tema na
Folha Online. Em brasileiro, claro. Confidenciou-nos: «Não quero incomodar os leitores da Folha mas posso garantir que enviei cartão pessoal a Adriana Iliescu. E não, não estou interessado em constituir família, apesar de minha inclinação natural por mulheres mais velhas (Adriana é uma gatinha; e solteira; mas deixa pra lá)

Depois de Lauren, Adriana. Caros leitores: não deixem pra lá; fechem a sete chaves as vossas avós. O filósofo anda por aí. Sabe-se lá se um destes dias não descobre a praxis.

Comments:
Esse gajo é um pateta !
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?