terça-feira, dezembro 28

 

Breve ensaio sobre o peronismo



Robert Longo (1981-7),
Sem Título («Os Homens nas Cidades»)

Sacando as cartas da Maya do bolso («A acreditar nas cartas da Maya»), Luís Delgado põe-nos em alerta para as oportunidades e as ameaças de 2005, perscrutando a vida dos grandes líderes que de nós cuidam. Ontem, leu a sina a Santana («Sinónimo de êxito e triunfo») e Sócrates («Não terá o caminho facilitado»); hoje, coube a sorte a Portas («Combatente indomável»), Jerónimo («joga em casa, pode ser igual a si próprio e seguir a sua impulsividade») e Louçã («Um escorpião por signo e natureza»). Subsiste um mistério que Delgado não soube decifrar (de que nos dá conta enquanto discorre sobre Louçã): «É o prenúncio de um entendimento com o PS? Deus nos proteja de tal «golpe» de azar. Era o regresso de Perón e Evita. E quem seria quem, afinal?» Não é coisa que não me tivesse passado pela cabeça: quem é que a Madonna me faz lembrar na política portuguesa?


Comments:
Ficamos a saber que Luis Delgado além de jornalista, fiel seguidor de PSL,Presidente Executivo da Lusomundo Media, agora parece que também é tarólogo. Parafraseando o próprio, "interne-se num hospital psiquiátrico"
 
Para os estudiosos da Obra de Luís delgado, sugere-se a consulta assídua do Diário Digital. Para os mais preguiçosos, reproduz-se o último escrito do Autor:

«Que venha 2005!

Assim como assim, e depois de tudo o que se passou em 2004, que venha o novo ano e tudo o que nele vai acontecer. E que venha rápido, para se acabar com as incertezas.

Só os ingénuos é que acreditam que os anos seguintes são sempre melhores, ou piores que os anteriores. Na verdade, são apenas imprevisíveis. Tudo pode acontecer, de bom e mau.

E este 2005 está repleto de incógnitas. Para todos. Para cada um. Uns acreditam. Outros pedem coragem. E os demais mudanças. No final, feitas as contas, vai dar tudo ao mesmo. Mais coisa, menos coisa.»

Luís Delgado
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=2&id_news=152080
 
Como é possível que Luís Delgado tenha ascendido à posição que tem hoje na PT? Não há um mínimo de decência?
 
Estou com curiosidade de ler a crónica sobre a carta astral do Luisinho.
Não lhe auguro grande futuro...
 
Gostava muito de saber ao serviço de quem, na realidade, ele está. Isto cheira tudo tão mal, tão mal... é que ele não chega a ser medíocre, fica muito aquém e é-o naturalmente. A quem serve pessoas assim?
 
Enganei-me. Onde se lê 'serve', deve ler-se 'servem'.
 
Fabulosa fabulosa é a incontinência verbal do dito cujo hoje no DN :-) que glosa os sete pecados mortais :-)

Especialmente o pecado da soberba... que me parece um auto-retrato ..

«Soberba dá-se nos abruptos incontinentes, traidores por feitio e natureza, que sempre se venderam por uma sacola de 30 dinheiros. É o pecado dos sem-vergonha, sem pátria e sem coluna. E dos inchados. E são muitos...»
 
oops... esqueci-me do link :-(

http://dn.sapo.pt/2004/12/29/opiniao/pecados_nacionais.html
 
Luís Delgado já mereceu atenção excessiva para a (falta de)qualidade que tem.Enterre-se, que é o que se faz aos vermes e outros rastejantes.
Mas a propósito do peronismo e da actual situação política nacional, talvez haja quem medite nas palavras do caudilho argentino:
“Para el mal administrativo, por lo tanto, nada es mas lógico que llamar a los empresarios que son hombres eminentemente administradores.
El gobierno, ante esta situación, a decidido entregar a manos idóneas la parte administrativa y económica del pais. Por lo tanto, va a ser dirigido por hombres que toda su vida han hecho administración y dirigido empresas.
El país no es sino un negocio amplificado; un gran negocio. Si lo administramos bien, lo llevaremos adelante; y como en todo negocio, si son buenos lo llevaremos adelante, si son malos lo fundimos. Esto no difere de las demás administraciones ni de las demás condiciones de la economia.”
Juan Peron
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?