quinta-feira, novembro 11

 

O ministro-empresário Álvaro Barreto


«O problema - como Álvaro Barreto demonstra abundantemente nesta entrevista e nem sempre com muita inteligência, apesar da sua reputada maturidade - já não é só a obsessão doentia que Santana Lopes e o seu Governo têm com a comunicação social. O problema é o conceito antidemocrático, cada vez mais patente, que manifestam sobre o relacionamento do poder político e do poder económico com a liberdade de expressão, com uma comunicação social plural e crítica. Não têm, decididamente, emenda.»

É de leitura obrigatória o artigo de José António Lima no
Expresso On-line.

Comments:
O velho Barreto não deveria ter sido retirado do armário, está antigo e cheio de traças, mas, como escreve o jornalista, este governo vive da imagem e logo isso faz com que só lhe interesse ficar bem na fotografia.
Não será tanto a questão de serem, ou não, democratas, é mais o salvar a face, a necessidade de mascarar a incompetência, a soberba própria de gente que nunca esperou sentar-se nas cadeiras do poder e que não é capaz, sequer, de reflectir sobre qual deverá ser o seu papel nos lugares a que acederam, por todas as mais mesquinhas razões.
Democratas? Mas se nem sabem respeitar os outros, se não possuem as mais elementares regras do relacionamento humano, se não enxergam um palmo para além dos seus (para eles) importantes narizes, qual se espera que seja o seu relacionamento com a imprensa? Só pode ser de total desrespeito.
O que acontece é que a tal comunicação social plural e crítica só existe nas palavras (que no seu íntimo sabem bem que não é assim) dos jornalistas, porque uma grande parte destes tem vivido à custa destes politicos de meia tigela que lhes passam as pequenas intrigas, as dicas inventadas para construir a dita opinião pública, numa promiscuidade construída e consentida, que só pode desembocar em situações como as que agora estão à vista de todos. As reacções da imprensa ao caso Marcelo são dignas de análise por isto mesmo.
Não venham agora os senhores jornalistas, ofendidos como púdicas vestais, lançar as culpas à falta de democracia. Se quiserem fazer um bom trabalho, basta-lhes deunciarem a falta de competência deste governo, nas mais diferentes áreas. São notícias fáceis de obter, não lhes faltará assunto e sempre prestam um serviço ao país.
 
É o despudor total ao nível do Estado!
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?