quarta-feira, outubro 13

 

O fim de Sampaio e o princípio de Pedrito


O país acompanha as peripécias, estando à espera que o Presidente da República desfaça o nó. Por mais infundadas que as expectativas sejam, este súbito alvoroço revela que Sampaio representa ainda uma réstia de esperança para muitos dos que o elegeram, apesar dos disparates que vem cometendo ao longo dos dois mandatos.

É provável que o Dr. Lopes e o resto da malta da discoteca não cumpram a legislatura. Não por Sampaio, que sabe, também ele, cultivar o silêncio [«
Há momentos em que o Presidente da República tem que saber estar calado»], mas pela própria natureza do homem que o Presidente fez primeiro-ministro. Abandonou quase tudo em que se meteu: a secretaria de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, o Parlamento Europeu, o grupo de comunicação que criou, a secretaria de Estado da Cultura, o Sporting, as mulheres, a Universidade Moderna, a Amostra, a Cinha, a Câmara de Lisboa… O mais provável é que o Dr. Lopes, quando concluir que os estragos são irreparáveis, assim uma espécie de túnel do Marquês à escala nacional, se ponha em fuga. Como de costume. Que tal o mês de Junho do próximo ano para o Dr. Lopes lançar a sua candidatura a Belém?

Experimentem reler
O princípio de Pedrito. Está lá tudo – menos o fim de Sampaio, mas esse não era o objecto do texto que o João escreveu há seis anos.

Comments:
Todo bien...
O PR tem a confiança do PM!
 
Pois é... Que o governo não chega a 2006 parece pacífico. A questão está em saber quem é que decide suspender esta brincadeira de mau gosto!
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?