quarta-feira, outubro 20

 

Meia bola e força


O Dr. Sampaio e largos sectores do PSD defende(ra)m uma posição muito peculiar: é preciso experimentar o santanismo para o poder rejeitar. Santana aceitou ir a jogo nestas condições – e agora trata de lhes trocar as voltas. Perante um Presidente da República a ultimar os preparativos da aposentação e um Tribunal Constitucional que perdeu a sua principal referência, Santana concentra-se no que é relevante para a sua estratégia:

• Montar uma gigantesca máquina de propaganda; e
• Enterrar – vivo, se necessário – o PSD, criando um deserto em seu redor.

Os sucessivos golpes de Morais Sarmento e Gomes da Silva só podem ser uma surpresa para aqueles que subestimem Santana (e o resto da malta da discoteca) ou tenham ilusões acerca dos seus propósitos. É certo que a máquina de propaganda ainda não está oleada: mas amanhã, quando os media estiverem domesticados, como se fará oposição?

A manobra para afastar Manuela Ferreira Leite do congresso é apenas mais um episódio na estratégia de neutralização dos sectores críticos do PSD. Puro orwellismo – o passado não existe.

É fazer chover no molhado insistir com o Presidente da República que Santana não foi a votos e que a sua cooptação nem sequer foi transparente. Ele aceita o que vier daquelas bandas – admite até que Santana se permita tratar tudo a pontapé. Para a frente é que é o caminho…


Comments:
Este Jorginho saíu-me pior que a encomenda.
Pode ser que seja bem assobiado no fim de semana em Grândola!
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?